. LIVRO DE RECLAMAÇÕES: FUTEBOL - em construção


Ao Exmo. Fenómeno Futebolístico Surreal

É com pesada tristeza que anuncio o meu corte; não sem antes afligir-me por tal imodéstia pois confesso que pesam a meu apego estes tão dolorosos desabafos, (sabendo cá entre nós que se trata dum rito cultural e que vai dia menos dia estamos eu pedindo-vos amparo e vossa excelência escusando-me com obrigação); com essa dependência narcótica de aplauso e filiação futebolística que mui cara minha vossa divina me propõe no meu quotidiano sem vivendis.

Salvaguardo de antemão e de brilho nos olhos todos os anos em que as acrobacias de vossos peões mui bem pagos me encheram de júbilo, a Nação cresceu em Glória de esplendor para todos os portugueses, todos, todos, e todos enriquecemos e crescemos por vosso esforço imparável, que memorialmente em dívida e obrigação nos sentiremos para sempre. Portugal Portugal e olé.
Relembra-me essa adesão tão genuína que todos sentimos como se fôssemos unidos com bandeiras feitas na China penduradas nas janelas, porque foi o sampaio que pediu e ninguém ligou mas quando o Ilustre Don Scolari bradou todos acederam, pois pois eram as mais baratas e quer dizer que não andamos ricos, mas tínhamo-la todos lá penduradinha à majestosa tricolor garrida, todos desde o intelectual ao zé d’acolá. E quem não a tivesse não era Português, há pois não era.
Arriba uníssona e fraterna como se se entoasse Grândola Vila Morena não se escarrando para o outro que não somos nós; a maneiras de dizer que não sou eu nem vossa excelência nesse sentir sem fingimento de amplexo e apoio, maresia dos valentes que suportam, camaradas amigos companheiros. Bela linha bradada em ideais, como quem se enaltece pelo frio do Inverno agasalhado na braseira escutando a chuva. A modos que fico agoniado em súbitos sem saber donde venham.
As travessas de caracóis e petiscos brindados com cervejolas mais a galhofa, essa fluidez do pensamento em estratégias debatidas; das críticas e dos reparos à lince, à gavião, essa edificação de carácter e autonomia de ideias que ali naquela tasca eram livres, por nosso futebol; e mais: podíamos estar aqui um do sporting e ele do benfica que não havia pega; mesmo um gajo do Porto a meu lado a falar à nortenho bimbo, até o considerava, palavra, até mesmo com um preto eu era capaz, juro-lhe por minha santíssima mãe... fazia lembrar aquelas alturas lá dos ultramares onde nos juntávamos à cavaca nas noites quentes
...a minha arrelia de palavreado. Vossa excelência já me conhece as peculiaridades e perdoa estes desvarios...
...é a democracia do futebol em pleno fulgor sobre o pardo do dia-a-dia.Àquilo que vossa excelência me prendou não tenho eu palavras.
Não destoando o dito anterior, costumo ficar depois destas folias de patriotismo e lirismo comunitário com o sintoma de sabor de papel velho na boca à forma do dia seguinte, como quem fuma e é viciado. Contemplo as nuances remanescentes da comemoração efeméride nos midia ou primalhada, anseio por humanos camaradas patriotas amantes de vossa excelência para debate e primo que essa memória perdure mesmo que a aldrabe ou a mim próprio.
Depois de ter comprado o manuscrito com o gostinho da véspera maravilhosa, acendido o cigarro maravilhoso e ter pedido uma bica curta pingada maravilhosa, comprei um bolito; um sério e humilde e como deve ser, mas muito asseado bolo de arroz. Reparei que o toque especial do Sr. Matias padeiro esvanecia-se, também ele muito limpo, asseado como deve ser e sério, de famílias honestas, foi o meu cunhado que o aconselhou... até já me cansa a mão destes que parecem maneirismos empoeirados, soam-me agora que ficámos no Barroco.
Dizia eu a V. Excelência que o estuporada daquela coisa toque gostinho, sério, humilde e como deve ser e asseado, fio-de-prumo do dia-a-dia do bolo de arroz do de famílias honestas, o tal do Matias parecia cá para mim que se tinha espichado, valesse ainda o manuscrito com o gostinho da véspera que fazia ressonância e tilintava os recônditos de meu ego dormente.
(continua...)

Comentários

  1. Zé d'acolá (tacteante)segunda-feira, junho 12, 2006

    São mas é uma cambada de drogados, todos ligados a soro ao futebol mas parece que já se mexem que já não engolem tanto

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares