. LIVRO DE RECLAMAÇÕES: SEGURANÇA SOCIAL - SINTRA - ACTUALIZADO

Chega a resposta da segurança Social à reclamação feita dia 21/08/2006 exposta mais abaixo:


Reclamação efectuada a 21/08/2006 no organismo da segurança social em Sintra, por absurdos tempos em espera: 5 horas por um assunto que ficou resolvido em 5 minutos - Oficialização de estatuto de desempregado.

Exmos Srs. 21/08/2006

Os motivos de reclamação são simples e pragmáticos:

Por volta das 10:00h tirei senha de atendimento na vossa repartição para oficialização de estado de desempregado, como tal legitimar o respectivo fundo de desemprego.
Pelas 15:00h sou atendido, o que colmata cerca de 5 horas perdidas do dia.
Este é o cerne da reclamação.

Segundo parâmetros instáveis e não previsíveis de atendimento, a situação obriga-me a seguir ou uma ou duas de 2 hipóteses:

a) ficar "sedentário" nesta repartição à espera que chegue a vez da minha senha, assegurando a não perca de vez; ou não tomando refeições ou tomando-as gastando dinheiro nas limitadas máquinas automáticas de bebidas e parcos alimentos.

b) sair da repartição para tomar refeições quer em moradia própria, quer em estabelecimentos comerciais, arriscando a perder a vez de atendimento:

Segundo a alínea A), seria requerido que tivessem um refeitório gratuito para o cidadão que espera mais do que X horas coincidentes com horário de refeições; ou então que fizessem o reembolso do gasto nas máquinas existentes.

Segundo a alínea B), o reembolso da refeição tomada exteriormente e ou os custos de transportes de viagem caso a opção fosse a própria moradia.

Tanto uma como outra alínea atenuariam radicalmente o foro psicológico e fisiológico de cada um dos que esperam interminavelmente.
Caso esta reclamação seja considerada de irrelevante, proponho que analisem o tempo de espera que vossa repartição proporciona, tal como o presente estado do presente queixante que se encontra desempregado, se dirige ao organismo que lhe atribuirá o subsídio de desemprego que já de si é miserável, e a sua situação precária que não lhe permite despesas acrescidas, e repararão que vós mesmos geram um enorme paradoxo.

Comentários

  1. A resposta esperada.
    De qualquer forma chateaste as chefias e obrigaste-os a gastarem tempo e franquia.

    ResponderEliminar
  2. zé não é resposta esperada porque o problema de falta de pessoal é combatido, com integração de mais pessoal, porque o teu problema é que eles fizeram te a ti e fazem a milhares que não usam o livro.
    Manda para o ministro ele tem que ser informado. Um Abraço
    Pedro

    ResponderEliminar
  3. Lapas 14-03 2012-03-14

    Gostaria que esta reclamação fosse encaminhada para o instituto de Solidariedade uma vez que não encontro online consigo reclamar.
    O meu marido Joaquim Rodrigues Lopes nascido com o nº 10950320544 Nº5391278 nº160285089
    É doente oncológico foi á junta medica para requerer o subsidio de dependência pois por si só não consegue sobreviver pois precisa de apoio para todas as tarefas, isto foi em Outubro e ate hoje não obteve nenhuma resposta. A falta de pessoal para fazer o trabalho não me satisfaz, pois foram todos que como ele trabalharam durante 40 e tantos anos ,ajudaram a criar riqueza que outros estragaram ,mas que os que descontaram nada tem a ver com isso ,são eles os principais prejudicados e tendo já pouco tempo de vida merecem vive-la com dignidade .
    Toda a medicação é muito cara e a reforma não chega para tudo. Por isso em tão poucas semanas já morreram milhares de doentes, mas diga-se de passagem que até convém assim são menos despesas para os cofres do estado.
    Agradeço uma breve resposta
    Vou também enviar esta carta para o gabinete do Sº Ministro
    Sem outro assunto
    Margarida Maria Ferreira Santos Lopes

    ResponderEliminar
  4. Sra. Margarida Lopes,
    não desista, há muitos mais que continuam a insurgir-se contra esta forma desumana, ilegal e anti-constitucional de tratar o cidadão. Sugiro-lhe que escreva uma carta incisiva, com anexos a corroborar o que diz (peça a alguém próximo de si que lhe faça scans da documentação que vai anexar, já que os documentos virtuais por lei, são tão válidos como os físicos).

    Não se iniba de enviar emails ou cartas para todos os destinatários mencionados abaixo. A condição do seu esposo é o importante.

    RELATIVOS À SEGURANÇA SOCIAL

    Formulários IGMTSS (INSPECÇÃO-GERAL DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL- Queixas dos Cidadãos à IGMTSS) - http://www2.seg-social.pt/Reclamacoes/queixas.asp

    Direcção Geral da Segurança Social - DGSS@seg-social.pt

    Gabinete do Ministro da Solidariedade e da Segurança Social (Ministro: Pedro Mota Soares): gabinete.ministro@msss.gov.pt / Morada: Praça de Londres, 2 - 1049-056 Lisboa

    Gabinete do Secretário de Estado da Solidariedade e da Segurança Social (Secretário de Estado: Marco António Costa): gabinete.sesss@msss.gov.pt / Morada: Praça de Londres, 2 - 1049-056 Lisboa

    ---

    RELATIVOS À SAÚDE

    Ministério da Saúde (Ministro: Paulo Macedo): gabinete.ministro@ms.gov.pt / Morada: Av. João Crisóstomo, 9, 6º -1049-062 Lisboa

    Gabinete do Secretário de Estado do Ministro da Saúde (Secretário de Estado: Manuel Ferreira Teixeira): gabinete.ses@ms.gov.pt / Morada: Av. João Crisóstomo, 9 - 1049-062 Lisboa

    Gabinete do Secretário de Estado Adjunto do Ministro da Saúde (Secretário de Estado: Fernando Leal da Costa): gabinete.seams@ms.gov.pt / Morada: Av. João Crisóstomo, 9 - 1049-062 Lisboa


    PS: qualquer dúvida não hesite em contactar-me

    José Pedro Gomes

    ResponderEliminar
  5. ONEIDA SILVA DE AGUIARsexta-feira, agosto 03, 2012

    PORQUE? A SEGURANÇA SOCIAL AINDA NÃO RESOLVEU O MEU CASO POIS JÁ LA VÃO SEIS ANOS E NÃO HÁ UM SOLUÇÃO ACORDA POVO!!!!!!!!!!!!O QUE VOCÊS FAZEM HÁ NA SEGURANÇA SOCIAL FICAM A OLHAR PARA O TEMPO PASSAR SEM DAR SOLUÇÃO PARA OS CASO QUE VOCÊS ARRUMARÃO COMO PODER JÁ FIZ TODAS AS RECLAMAÇÕES QUE DEVIA MAS NÃO ALGUÉM COM CAPACIDADES DE RESOLVER ISSO NÃO JUSTO POIS QUANDO TRABALHAMOS ADQUIRIMOS OS NOSSOS DIREITOS E PORQUE VOCÊS QUE SÃO OS CAUSADORES DESTA SITUAÇÃO NÃO TOMA AS DEVIDAS PROVIDENCIA POR QUE NÃO DA PARA ACREDITAR QUE UMA REFORMA CHEGUE A SEGURANÇA SOCIAL VINDA DO BRASIL E NÃO SEJA ENTREGUE A QUEM DE DIREITO E TEM A CAPACIDADE DE DIZER QUE NÃO ME ENCONTRAM ISSO E PARA RIR SE TRABALHEI CÁ FIZ DESCONTOS E DIZEM QUE NÃO ME ENCONTRAM ISSO E DEMAIS QUANDO E PARA PAGAR A VOCÊS ISSO SIM FUNCIONA DESCOBREM TUDO O QUE VOS ENTERNEÇA OK

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Informo-a que não vale a pena manifestar-se através deste blogue contestando directamente os organismos da Seg. Social, já que eu não trabalho na respectiva nem tenho qualquer ligação com a função pública. Se pretende manifestar a sua opinião revoltada sobre a Seg. Social, faça-o através dos respectivos contactos dos mesmos. Obrigado.

      Eliminar

Enviar um comentário