11 julho 2007

BOLSA DE FORMAÇÃO DA INICIATIVA DO TRABALHADOR - NÃO DÍVIDA À SEGURANÇA SOCIAL - parte 7

anteriores:

BOLSA DE FORMAÇÃO DA INICIATIVA DO TRABALHADOR - NÃO DÍVIDA À SEGURANÇA SOCIAL

parte 1 / parte 2 / parte 3 / parte 4 / parte 5 / parte 6


A 3 de Julho recebo um e-mail da Sra. Emília M. Mira (Ass. Adm. Especialista) informando-me que a declaração da situação contributiva terá seguiu no próprio dia 3 de Julho de 2007 via CTT.




A 7 de Julho de 2007, está esclarecido NÃO EXISTIREM DÍVIDAS À SEGURANÇA SOCIAL.


Remato com o seguinte e-mail:


CONCLUSÃO:

  • A primeira hipótese de candidatura a uma bolsa de formação, teria sido um curso de Webdesign decorrente em Junho do presente, tendo sido anulada pela ausência do comprovativo de isenção de dívida à Segurança Social - documento recentemente adquirido.
  • A 2ª hipótese seria frequentar o mesmo curso (cursos de um mês) no mês de Julho. No entanto o seu horário nocturno impossibilitar-me-ia frequentá-lo por ausência de meios de deslocação (horários da empresa rodoviária maioritária de Fontanelas e Sintra).
  • Só quando escrevo para o Gab. Sec. Est. da Seg. Social e envio uma queixa para o Provedor da Justiça sobre o enorme compasso de espera, a elaboração do comprovativo se torna fluida.
  • Escusado será de dizer que todo o processo burocrático entre mim, o IEFP, e a entidade formadora, serviu para nada. Na mesma instituição, só em Setembro decorrerão novos cursos - o que coincidirá com o curso tecnológico em que estou inscrito através do IEFP.
  • Mudar de instituição visando a hipótese de inscrição noutros cursos decorrentes (para uma nova candidatura a uma bolsa de formação), é uma hipótese a analisar.
Lamentavelmente, a filosofia social, implica que:

  • ou exista algum conhecido, amigo, familiar dentro dos Administração Pública que acelere todo o processo burocrático;
  • ou só pela pressão, insistência persistente, e total ausência de credibilidade pelo funcionamento dos órgãos públicos se consiga atingir um fim que deveria ser fluido.

Explique-me V. Exa, parte do órgão soberano da República Portuguesa e 1º Ministro, como pode funcionar (equitativamente) um país se o próprio óleo, ou lubrificante, da engrenagem do sistema está feito (conscientemente e propositadamente) para empenar as rodas dentadas do mecanismo?

(conclusão)

3 comentários:

  1. Estou chocado, mas não estou nada espantado.
    Recebi agora uma carta da Segurança Social a dizer que devia 24 meses de contribuições, entre 2002 e 2004.

    No "Informativo" perto do Técnico (onde os funcionários dão diligentes, humanos e simpáticos, tenho de voltar lá hoje e já vou com outro estado de espírito) disseram-me que deve ser falta de informação da Caixa de Jornalistas, que durante muitos anos funcionou muito bem.

    Depois começaram a dispensar pessoas e as coisas começaram a entrar no caos.

    Depois de uma série de tempo à procura de recibos de há cinco anos, lá consegui encontrar 21 em 24. Agora vou à Caixa dos Jornalistas, para obter uma declaração em como não devo nada.

    Entretanto, a carta da Segurança Social vem sem data de carimbo dos correios e portanto não vem registada.
    O código postal é o da Pré-História (1000, quando já mudou para 1050-193 Lisboa há que anos).
    E nos computadores deles não figura que eu fechei os recibos verdes a 31 de Março, quando, por lei, o cruzamamento de informação entre Finanças e Segurança Social devia acusar a situação automaticamente. Resta dizer que o meu número de telefone ainda está 766, em vez de 21 7966...

    Com a brevidade possível farei um post no Ganda Ordinarice, independentemente da prosasinha no tal Livro Amarelo, como me aconselharam. Mas a prosasinha no meu blogue vai ser mais divertida. Também vou publicar a carta deles e os meus recibos. Não todos, claro...

    Um grande abraço de solidariedade para ti. Vai-nos valendo o jazz, não é?

    ResponderEliminar
  2. Obrigado amigo. Vai-nos valendo o jazz e essas obras de arte sucolências femininas.

    Encosta-os à parede que estamos num país além de perro que nem uma porta, mafioso até à medula.

    Grande Abraço

    ResponderEliminar
  3. E não é que passado um ano nada mudou?
    a Minha história é diferente!
    Tudo entregue, mais que entregue, tudo em ordem, 50 dias e nem resposta, curso já iniciou...

    Agora só falta saber local ideal para fazer queixa!

    Um não também tem de se dizer ou ficamos à espera pelas respostas parados!

    O meu curso também era web design e só iam pagar uma percentagem!
    No entanto andam a dar rendimentos a quem não faz nada e matas e bosques para limpar, ruas para varrer e quem deseja se cultivar e qualificar recusam!

    Mas eu vou chamar tv e afins e pôr esta malta a andar de lado!

    ResponderEliminar

STAT COUNTER


Visitas